Saturday, September 21, 2013

A mesa, o computador, o tempo para escrever!


Ora bem, vamos voltar ao tema (s): gravidez, alimentação, saúde e hábitos, já que esta e a minha situação por mais 3 meses (a de grávida).

De forma a introduzir novos temas aqui no blog (desde já peco desculpa pela ausência mas sem computador que funcione como deve ser e sem uma mesa onde o apoiar e ai trabalhar não dá para mim. Agora sim  ) creio ser pertinente contar um pouco do que tenho vivido desde Junho.
Ora bem, neste momento encontro-me com 28 semanas de gestação (acabadinha de entrar no terceiro e derradeiro trimestre) cheia de energia e de boa saúde, mas nem sempre assim foi.

Entre as 5 e as 13 semanas (basicamente o primeiro trimestre) a coisa esteve negra aqui para o meu lado. Passei pelo normal mau estar que a grande maioria das grávidas atravessa nos primeiros três meses, ou seja, recorrente enjoo, azia severa, inchaço abdominal, fadiga e uma vontade de dormir o dia todo. Nada do que ingeria me caia bem, mesmo estando eu a fazer refeições a cada 3 horas e num tamanho XS .
 
A partir da 13a semana aquela azia que me acompanhava de manha a noite, 7 dias por semana abandonou meu corpo mas a sensibilidade digestiva continuou, tendo eu, e após varias pesquisas , reparado que poderia estar a sofrer de IBS (irritable bowel syndrome – síndrome do intestino irritado), dado a uma cada vez mais evidente intolerância a lactose e glúten que me deixavam prostada na cama ou numa cadeira no trabalho após uma refeição onde esses dois elementos entrassem, como leite, natas, batata ou massa.
 
O inchaço abdominal era penoso, deixando-me sem energia para nada, nenhuma posição me aliviava a dor e o pânico em comer chegou mesmo a instalar-se dado que não sabia ao certo o que ingerir e em que Porcão, apenas sabia que necessitava de comer dado o exercício físico que fazia diariamente, o trabalho e claro a gestação.
 
Foi então que após marcar viagem para Portugal, agendei igualmente uma consulta na minha nutricionista para com ela traçarmos uma dieta que me deixasse livre da ma disposição, bem alimentada e esclarecida sobre as minhas restrições, o porque, substituições, novos produtos, novas combinações e um novo sorriso.

Foi então com a Dr. Sheila Patinho que no mês de Julho, já eu estava com 4 meses e 2 semanas de gestação quando os meus problemas digestivos ficaram arrumados, esclarecidos e um “novo” mundo de produtos, combinações e conhecimento se abriu para mim.

Sou então intolerante a lactose, glúten e leguminosas, ou seja, estes foram os primeiros a serem eliminados quase por completo da minha dieta (como não sou alérgica posso comer um pastel de nata, umas ervilhas ou uma pasta desde que numa porção bem reduzida e esporadicamente que não vou morrer).

Tenho plena noção que para muitas pessoas um diagnostico destes e uma dieta sem produtos como um normal pão, pasta, leite, queijos ou grãos seria um verdadeiro pesadelo.
Contudo, eu tenho a sorte de apreciar a variedade de produtos que a natureza nos oferece, vivo num pais que esta muito bem apetrechado de produtos glúten e lactose-free e adoro pesquisar, e acreditem que e perfeitamente possível viver se messes 3 grupos de ingredientes, basta que o acompanhamento nutricional no inicio seja bem realizado para um perfeito esclarecimento do que evitar, como substituir e a web abre-nos um novo mundo.
Desde já vos asseguro que eu como muito bem, a cada 3 horas, de uma forma muito mais diversificada que muitos sem qualquer intolerância e tenho uma energia de gigante (treino 5 vezes por semana, trabalhei até há bem pouco tempo no duro e não paro um segundo).

Mas no que as intolerâncias diz respeito, outro post aqui escreverei em breve, pois creio ser pertinente enquanto testemunho diário do tema(s).

Resumindo que o texto já vai longo, acabaram-se os problemas digestivos, sinto-me muito mais leve e disposta para um normal dia a dia (andei impossível de aturar até entender que tinha de mudar a minha dieta), estou uma grávida saudável, com um ganho de peso normal que acompanha o desenvolvimento do bebe (Edward), sem desejos malucos, mas antes com desejos muito bem pensados e o mais saudáveis possíveis.
 
Grávida não tem de engordar 20Kg nem comer por 2, nem ficar sentada o dia inteiro no sofá. Temos antes de pensar em ser o mais saudáveis possível, pois somos responsáveis por uma outra vida e porque não deixamos de ser mulheres que gostamos de nos olhar ao espelho e ver que além do bump tudo continua igual e no sitio.

Eu sei que sou fanática por uma alimentação saudável e a prática de exercício regular e que isso e muitas vezes visto como idiotice, mas também sei que pelo menos faço a minha parte para evitar consultas medicas desnecessárias, e futuros problemas associados a tensão alta, diabetes, problemas cardíacos e por ai fora. E acreditem, EU ADORO COMER!

No comments: